Arquivo da tag: eav

Apresentação do Sistema PVC Concreto

Apresentação em PDF clique aqui

Link do youtube com vídeo da concretagem:
http://youtu.be/DnW1V9ZwtFk

Sistema construtivo PVC Concreto vem inovando mercado de construção acelerando rítimo e aumentando a qualidade da construção. Com precisões milimétricas você tem a certeza de uma obra bem controlada e definida.

Certificados e aprovações nacionais e internacionais (DATEC)
Velocidade na obra
Fácil montagem
Higienização e limpeza
Ausência de manutenção e patologias
Qualidade de produto
Durabilidade (25 anos de garantia do branco do PVC)
Mão de obra simples
Não utiliza equipes nem ferramentas pesadas
Modulação em qualquer projeto
Alta eficiência em isolamento térmico e acústico
Diminuição considerável de custos extras na obra
Maior certeza em prazos de obra
Redução de até 40% no tempo de execução da obra, com relação ao convencional
Baixa incidência de custos indiretos
Custo direto competitivo
Totalmente anti-chama (Classificação como material Classe A)
Não contem chumbo no composto do polímero

Entrega da obra Pousada Editora Árvore da Vida

Faltando apenas a limpeza final da obra. A Differ utiliza em suas obras apenas sabão em pó para a limpeza. Em alguns casos há um produto que também pode ser utilizado que “derrete” toda sujeira (inclusive concreto) e não afeta o PVC. O resultado final são paredes limpas e brancas, “folha sulfite”.

PVC Editora PVC Editora (1) PVC Editora (4)

Artigo da PINI Téchne sobre nossa obra

Veja a Reportagem na íntegra:  Sistema construtivo para casas e sobrados usa painéis de PVC preenchidos com concreto | Téchne.

Sistema construtivo para casas e sobrados usa painéis de PVC preenchidos com concreto

Veja as características e os procedimentos de execução da tecnologia

Redação: Gisele Cichinelli

Edição 199 – Outubro/2013
 
Foto: divulgação Global Housing Foto: divulgação Global Housing Foto: divulgação Global Housing
Figuras 9a e 9b – Montagem dos painéis Figura 10 – Painéis devem ser aprumados e escorados para evitar que os ventos causem desalinhamentos

 

Foto: divulgação Global Housing
Figura 11 – Posicionamento das armaduras horizontais e verticais

No sistema, a tubulação de alimentação de água fria é posicionada verticalmente nos perfis especiais (módulo especial). As tubulações horizontais são admitidas desde que contem com comprimento de até 1/3 do da parede e que as conexões estejam posicionadas nos módulos especiais. A tubulação de esgoto de pias e lavatórios, com no máximo 40 mm de diâmetro, deve ser posicionada, preferencialmente, no lado externo às paredes. Quando embutidas, no entanto, devem ser inseridas nos módulos especiais, limitando-se à altura de 600 mm a partir do nível do piso. Todas as tubulações internas às paredes devem ser envoltas ou revestidas com tubos de isolamento de polietileno de célula fechada, evitando a aderência do concreto à tubulação e facilitando a sua manutenção, quando necessária.

Outro ponto importante é o posicionamento da tubulação de gás, preferencialmente alocada fora das paredes. Se o projeto optar por embuti-los na parede, deve-se posicioná-la na vertical, dentro dos módulos especiais, e envolvê-las com uma tubulação de maior diâmetro, preenchendo completamente o espaço existente entre os diâmetros das duas tubulações com argamassa de cimento e areia. Por fim, cabe ressaltar que as paredes que ficarão próximas a eletrodomésticos que trabalham com temperaturas superiores a 60ºC devem receber revestimento cerâmico fixado à parede com argamassa colante tipo ACIII.

Processo executivo
1) Execução da fundação do tipo radier ou viga baldrame, com altura total maior que 130 mm (figura 8).

2) Execução do contrapiso, cuja planicidade não deve apresentar irregularidades maiores que 2 mm/m.

3) Marcação do eixo das paredes e posicionamento das guias de referência de madeira. As guias serão retiradas após a concretagem.

4) Locação dos pontos e execução dos furos que irão receber as barras de ancoragem e a aplicação do adesivo estrutural.

5) Montagem prévia, na fábrica ou na própria obra, dos módulos básicos e perfis de acoplamento dos painéis.

6) Posicionamento dos painéis e dos módulos multifuncionais para a composição das paredes. Os perfis são identificados com etiquetas de acordo com o projeto de modulação da edificação e são montados segundo essa sequência (figuras 9a e 9b).

7) Introdução do perfil de acoplamento entre os painéis adjacentes e entre os painéis e os módulos. Na medida em que os painéis de PVC pré-montados forem posicionados nos módulos- guia ou nas faces das guias de madeira, devem ser aprumados e escorados para impedir que os ventos causem o seu desalinhamento (figura 10).

8) Fixação dos módulos canaletas dentro dos módulos básicos, conforme o projeto de elétrica.

9) Inserção da armadura vertical, que deve ser inserida durante a montagem dos painéis de PVC. No momento da introdução do perfil de acoplamento, o painel que contém ferragens verticais é elevado do piso possibilitando a amarração entre essas armaduras e os arranques ancorados ao elemento de fundação (figura 11).

10) Inserção da armadura horizontal. Elas devem ser posicionadas na região das vergas e contravergas e apoiadas nos furos oblongos das nervuras entre perfis de PVC (figura 11).

11) As tubulações hidráulicas verticais são introduzidas nos módulos especiais pelas extremidades superiores, após o posicionamento e travamento dos painéis na sua posição definitiva. No caso da existência de tubulação horizontal, esta deverá ser montada nos painéis fora da posição definitiva.

12) Escoramento dos vãos de janelas e portas, para evitar a deformação dos perfis dessas regiões durante a concretagem. Os escoramentos das portas são inseridos antes da concretagem; já os escoramentos das janelas devem ser inseridos nas aberturas após a concretagem executada até o nível do peitoril.

13) Concretagem da parede, iniciada na parte de baixo das janelas, onde, posteriormente, serão posicionados os escoramentos. Essa etapa deve ser contínua e cobrir 1/3 das paredes por vez, no tempo máximo de 45 minutos a cada trecho. Para evitar a deformação do perfil pela pressão do concreto e o seu escorrimento sobre as faces das paredes, podem ser colocados escoramentos provisórios na borda superior dos painéis de PVC (figura 12) pelo período mínimo de 48 horas e resistência mínima à compressão do concreto de 2 MPa. Para facilitar o espalhamento do concreto no interior das fôrmas, pode-se realizar pequenas batidas com martelo de borracha nos painéis de PVC.

14) Limpeza das faces das paredes, imediatamente após a concretagem, com água corrente e esponjas macias para não danificar as superfícies dos perfis de PVC.

Foto: divulgação Global Housing
Figura 12 – Escoramento provisório nas bordas superiores dos painéis de PVC

15) Posicionamento das pré-lajes, que devem ser apoiadas na parede. Essa etapa deve ser executada, no mínimo, 48 horas depois da concretagem.

16) Escoramento das pré-lajes ou das treliças de laje nervurada. As escoras das lajes são mantidas pelo período mínimo de 21 dias.

17) Fixação das janelas à parede com parafusos e buchas de náilon. A interface entre janela e parede é preenchida por selante à base de poliuretano (figura 13).

Tabela 1 – SÍNTESE DOS RESULTADOS DOS ENSAIOS DE COMPRESSÃO EXCÊNTRICA
Tabela 2 – SÍNTESE DOS CRITÉRIOS DE DESEMPENHO E DO RESULTADO DO ENSAIO DE ISOLAÇÃO SONORA
Fonte: Documento de Avaliação Técnica nº 17.

Reportagem Jornal RMC – Presidente da Câmara Municipal de Sumaré

O presidente da Câmara de Sumaré, vereador Dirceu Dalben (PPS), conheceu na manhã desta terça-feira (26) a “Casa de PVC” na Estância Árvore da Vida em Sumaré. O administrador Jonas Pizarro e o responsável pelo setor de compras da Estância receberam o vereador e o vice-prefeito e presidente do DAE Luiz Alfredo Dalben.

A casa de PVC trata-se basicamente de perfis de pvc vazados (ocos) onde é introduzida armadura de aço e concreto fluído (fluído pelo fato de precisar penetrar em todos os vãos). Depois de concretado, torna-se uma estrutura única, sólida, garantindo ao sistema alta resistência. “Uma construção convencional leva até 80 horas e essa não passa de 20 horas. É uma solução para a questão de moradias para a cidade devido a sua agilidade, baixo custo e manutenção zero”, comentou o presidente da Câmara.

A casa de PVC agrada ao público por ser atóxica, dispensar acabamentos, ter isolação térmica e acústica garantida, ter custo baixo de construção, ser entregue em no máximo 10 dias. “É uma construção inovadora e ágil que pode atender muitas construções realizadas pelo Poder Público, além de moradias, a construção ainda de creches, escolas, unidades de saúde, departamentos e outros”, declarou Dalben.

Esse tipo de imóvel pode ser uma alternativa permanente de moradia, mas também uma boa solução temporária de residência para moradores de regiões castigadas por enchentes e desabamentos.

Mas, além de proporcionar a construção de forma mais rápida, o material usado é de mais fácil manutenção – para limpá-lo, basta água e sabão – e proporciona um melhor conforto térmico, já que o PVC não acumula o calor. As placas são semibrilhosas, o que as protege dos raios ultravioletas. “Essa tecnologia é canadense e está no Brasil há três anos. E eu trouxe para Sumaré há oito meses, quando foi feita a primeira casa aqui na Estância Árvore da Vida. Devido ao bom resultado, já foram montadas algumas dezenas de Casas de PVC aqui”, destacou o administrador Jonas.

De acordo com especialistas, a parte que mais envolve tempo na construção de uma casa é a parede. É ela que vai te proporcionar ou não conforto térmico, e acústico e que vai envolver o maior tempo de trabalho para ser erguida. Numa construção convencional, uma casa de 42 metros quadrados demora cerca de um mês para ser concluída.

Já com placas de PVC, esta mesma moradia é finalizada em, no máximo, seis dias e com um número menor de operários, já que os materiais são de fácil transporte e montagem.

Fonte: Câmara Municipal de Sumaré