Reportagem Jornal RMC – Presidente da Câmara Municipal de Sumaré

O presidente da Câmara de Sumaré, vereador Dirceu Dalben (PPS), conheceu na manhã desta terça-feira (26) a “Casa de PVC” na Estância Árvore da Vida em Sumaré. O administrador Jonas Pizarro e o responsável pelo setor de compras da Estância receberam o vereador e o vice-prefeito e presidente do DAE Luiz Alfredo Dalben.

A casa de PVC trata-se basicamente de perfis de pvc vazados (ocos) onde é introduzida armadura de aço e concreto fluído (fluído pelo fato de precisar penetrar em todos os vãos). Depois de concretado, torna-se uma estrutura única, sólida, garantindo ao sistema alta resistência. “Uma construção convencional leva até 80 horas e essa não passa de 20 horas. É uma solução para a questão de moradias para a cidade devido a sua agilidade, baixo custo e manutenção zero”, comentou o presidente da Câmara.

A casa de PVC agrada ao público por ser atóxica, dispensar acabamentos, ter isolação térmica e acústica garantida, ter custo baixo de construção, ser entregue em no máximo 10 dias. “É uma construção inovadora e ágil que pode atender muitas construções realizadas pelo Poder Público, além de moradias, a construção ainda de creches, escolas, unidades de saúde, departamentos e outros”, declarou Dalben.

Esse tipo de imóvel pode ser uma alternativa permanente de moradia, mas também uma boa solução temporária de residência para moradores de regiões castigadas por enchentes e desabamentos.

Mas, além de proporcionar a construção de forma mais rápida, o material usado é de mais fácil manutenção – para limpá-lo, basta água e sabão – e proporciona um melhor conforto térmico, já que o PVC não acumula o calor. As placas são semibrilhosas, o que as protege dos raios ultravioletas. “Essa tecnologia é canadense e está no Brasil há três anos. E eu trouxe para Sumaré há oito meses, quando foi feita a primeira casa aqui na Estância Árvore da Vida. Devido ao bom resultado, já foram montadas algumas dezenas de Casas de PVC aqui”, destacou o administrador Jonas.

De acordo com especialistas, a parte que mais envolve tempo na construção de uma casa é a parede. É ela que vai te proporcionar ou não conforto térmico, e acústico e que vai envolver o maior tempo de trabalho para ser erguida. Numa construção convencional, uma casa de 42 metros quadrados demora cerca de um mês para ser concluída.

Já com placas de PVC, esta mesma moradia é finalizada em, no máximo, seis dias e com um número menor de operários, já que os materiais são de fácil transporte e montagem.

Fonte: Câmara Municipal de Sumaré